Skip to content
Biografia Resumida

Descolonização da África

Os povos africanos cansados da tirania dos europeus, decidem expulsá-los, conquistando assim a sua total independência. Tendo como primeiro país a ser independente a Libéria, em 1847.

A descolonização da África ocorreu durante o século XX.

Sendo o principal motivo a Segunda Guerra Mundial, que enfraqueceu a Europa. Tal enfraquecimento, fez com que os movimentos de libertação da África tivessem mais força e proporção.

Resumo

Sendo colonizada pela Europa, a África por muito tempo foi uma colônia de exploração. Devido a estar sobre domínio bélico, não havia meios de se opor e se rebelar contra os europeus e contra a dominação sofrida.

Situação essa que tem uma virada depois da Segunda Guerra Mundial, quando a Europa, já bem fraca, tanto economicamente quanto em questão do seu armamento. Assim, não tinha mais meios para que se pudesse continuar dominando os povos africanos.

A partir daí, com a influência dos Estados Unidos e União Soviética, outros movimentos começam a surgir para que ocorresse a descolonização da África e para que fosse um país independente.

Alguns países europeus concederam de forma tranquila a descolonização de colônias que estavam sobre seus domínios. Já para outras colônias, só foi possível a independência, após demorados conflitos entre os colonizadores europeus e os nativos africanos.

O primeiro país que se tornou independente foi a Libéria, que no ano de 1847, deixou de ser colônia para se tornar um país independente. E tendo como último país a ser descolonizado foi a Eritreia no ano de 1993.

Mesmo se tornando uma nação descolonizada, a África não deixou de ser totalmente independente. Sendo que os países continuaram a ser dependentes tanto financeiramente, quanto tecnologicamente, dos países imperialistas.

A responsabilidade da divisão da nação ficou para as nações europeias. Feita de forma errada, onde tribos rivais, foram colocadas no mesmo espaço. Causando guerras internas.

Enquanto a má divisão territorial feita, impede o crescimento econômico. Não esquecendo que a descolonização trouxe muitos problemas para a África. Instabilidade política, diversos e constante conflitos.

Características da descolonização da África

A descolonização foi um processo onde as colônias da África recuperaram sua independência. Sendo um processo que resultou em uma grande mudança, a descolonização da África teve três características importantes. Sendo elas:

  • Ocorrida no período de 1946 a 1975;
  • A partir do ano de 1945, partidos políticos tiveram maior força para lutar e incentivar a independência;
  • Líderes que incentivaram e mobilizaram as grandes massas para que o processo de descolonização pudesse ser feito.

Causas

O ato ocorreu no século XX teve várias causas, sendo as principais:

  • Potências europeias sofrem declínio devido a Segunda Guerra Mundial;
  • A influência da ONU para que os povos africanos lutassem pelos seus direitos;
  • O grande desejo dos Estados Unidos e da União Soviética de ocupar esse território.

Quando e como ocorreu a descolonização africana?

A Europa por muito tempo colonizou a África para explorar seus bens. Além de escravizar os nativos africanos. Os efeitos dessa colonização estão presentes até hoje na África. Um continente antes rico, hoje vive na miséria.

O processo de descolonização da África ocorreu no início do século XX, no momento em que se acontecia a Segunda Guerra Mundial. Durante a década de 1960, intensificou os movimentos que lutavam para que a independência acontecesse.

O ponto alto que fizesse com que a descolonização acontecesse, foi quando a Europa, já destroçada pelos efeitos da guerra, já não conseguia manter seus domínios pelas colônias.

Foi quando a população desses territórios, começaram a se impor e expulsarem os colonizadores de suas terras. Com muito incentivo dos países da antiga União Soviética e dos Estados Unidos, a descolonização da África foi possível.

Em alguns territórios da África, a descolonização foi feita de modo pacífico, feitos pactos e sem nenhum conflito. Mas em outras partes houve conflitos sangrentos e lutas armadas.

Muitas vidas ceifadas por conflitos tanto internos e contra os países europeus. O marco para a partilha do território, só foi possível devido a realidade neocolonialista.

descolonização da áfrica

Consequências da descolonização

A descolonização africana não trouxe somente a independência para o continente. Juntamente veio vários problemas e consequências. Abaixo citamos algumas consequências que a descolonização provocou:

  • Criação de fronteiras artificiais para separar povos da mesma língua e mesma cultura;
  • Os novos Estados são fracos e necessitam das metrópoles para se manterem;
  • Conflitos territoriais, para que seja feita a implantação de territórios ricos com recursos naturais;
  • Aumento da violência e da marginalização;
  • Pobreza;
  • Muitos dos povos entram em guerra civil;
  • Continente passa a fazer parte do bloco do terceiro mundo;
  • Aumento de conflitos entre tribos.

O que aconteceu depois da independência?

A independência trouxe consigo sérios problemas, além de muitos aspectos negativos para a nação. Inicia-se a instabilidade política, e vários conflitos entre os grupos rivais. Conflitos esses que ocorrem até hoje.

Povos que possuem maior poder e riquezas ainda oprime o grupo de minorias, além de maltratar e humilhar. Os mais fracos não possuem nenhum direito. Além de sofrerem muita opressão.

Hoje o continente é repartido em 53 países, muito mal divididos e na maioria das vezes sem políticas internas para que ocorra melhorias. Uma nação repartida, onde povos da mesma origem conflitam entrem sim por espaço territorial.

Enquanto ocorriam esses conflitos por território, as últimas riquezas do continente eram extraídas. Fazendo com que cada vez mais a África se tornasse um país pobre. Áreas antes boas terras para plantio, hoje se tornaram inférteis.

Como ficou a independência dos países após a descolonização

Após todo o processo de descolonização e independência, o continente africano passou por mudanças territoriais. Do ano de 1974 a 1993, os países africanos tiveram a sua independência.

Cada país teve a sua independência em anos diferentes. Abaixo a relação dos países e o ano que que foi conquistada a sua independência:

  • Líbia 1951
  • Sudão, Marrocos e Tunísia: 1956
  • Gana: 1957
  • Guiné: 1958
  • Camarões, Togo, Madagáscar, República do Congo, Somália, Benin, Nínger, Alto-Volta, Costa do Marfim, Chade, República Centro Africana, Congo-Brazaville, Chipre, Gadão, Senegal, Mali, Nigéria e Mauritânia: 1960
  • Serra Leoa: 1961
  • Tanzânia, Burundi, Ruanda, Argélia, Uganda: 1962
  • Quênia: 1963
  • Malawi, Zâmbia: 1964
  • Gâmbia: 1965
  • Botsuana, Lesoto: 1966
  • Niguane, Guiné Equatorial, Maurício: 1968
  • Guiné-Bassaú: 1974
  • Moçambique, Cabo Verde, Ilhas Comores, São Tomé e Príncipe, Angola: 1975
  • Djibuti: 1977
  • Zimbábue: 1980

Conflitos territoriais motivados após a descolonização

Golpes do estado, disputa por território, rivalidade entre tribos, são motivos que originaram os conflitos pós descolonização. Então, todos esses motivos causados devido as consequências que a colonização trouxe. Abaixo países do continente africano que até hoje possuem conflitos internos:

  • Sudão do Sul e Sudão
  • Nigéria
  • Ruanda
  • Mali
  • Burundi
  • República Democrática do Congo
  • Angola

Todos esses países sofrem conflitos internos devido aos fragmentos que os colonizadores provocaram. Conflitos esses que dizimam milhares de vidas. Além de provocar grises humanitárias.

Como está a África nos dias de hoje?

Um país fragilizado por doenças, pela economia fraca e pelo grande índice de pobreza. Isso apenas resume em poucas palavras a África. Antes um país rico e com muitas riquezas. Onde a exploração deixou apenas o caos.

Considerado o segundo continente mais populoso da Terra. Além de contar com uma variedade e diversidade cultural. Que esconde um pouco a fome, o analfabetismo e a pequena estimativa de vida.

Desenvolvimento atrasado em relação a demais nações. Possuindo 29 países no menor nível de desenvolvimento. Batendo recordes quando o assunto são os refugiados espalhados por vários continentes. Cerca de 6,3 milhões de refugiados.

africa do sul

Concluindo

Em meados do século XX, a África ainda estava sobre domínio de países europeus. Com a queda e o enfraquecimento tanto econômico quanto bélico da Europa, devido aos acontecimentos da Segunda Guerra Mundial. Ter a dominação sobre a África, já não é mais uma prioridade.

Surge então, através dos Estados Unidos e União Soviética, a ideologia de independência. Fazendo com que os povos nativos, manifestassem e lutassem pelo direito de sua nação.

Entretanto, a ideia era boa, mas na prática, não foi bem assim. Nem todos os países europeus, cederam de forma pacífica o território de ocupação. Muitos conflitos e muito derramamento de sangue ocorreram, para que se pudesse atingir então a tão sonhada independência da África.

Após total descolonização da África, começam a surgir vários problemas. Crise econômica, conflitos entre tribos rivais, falta de um governo que estruturasse bem cada país. A capacidade produtiva do país caiu demais. Devido a isso, muitos povos passam fome até hoje.

Podemos dizer que a independência não foi totalmente feita. Pois mesmo após a descolonização, a África ainda é dependente tanto na parte de tecnologia, industrial e economicamente. Sendo assim, não possui total autonomia.

Todo esse processo que ocorreu, no início, foi visto como o melhor para a África. Mas vendo nos dias atuais, não foi bem isto que o povo queria.

A falta de infraestrutura, falta de governantes que realmente querem o melhor para o seu país, nenhuma política adotada para melhorias, as brigas por território, desanimam a cada dia a população que almeja o melhor.