Skip to content
Biografia Resumida

Folclore Brasileiro

Eventos, danças, músicas, mitos, comidas, artesanatos, jogos, costumes, provérbios, brincadeiras e lendas são exemplos de manifestações populares brasileiras que sobrevivem ao tempo devido à participação de crianças, jovens, adultos e idosos brasileiros.

O Brasil possui o folclore mais rico e diversificado do mundo, uma vez que a população é formada por negros, índios, portugueses e imigrantes árabes, japoneses, italianos e alemães.

folclore brasileiro

Origem do folclore brasileiro

Não existe uma data específica sobre a origem do folclore brasileiro. Afinal, a cultura do país possui diversas origens como indígena, africana e europeia.

Já o termo folclore tem origem na expressão que é da língua inglesa folklore.

Conforme William John Thoms, escritor britânico que criou o termo, Folk significa povo. Enquanto Lore quer dizer informação, conhecimento, saber.

Logo a junção das duas expressões significa, em resumo, sabedoria do povo.

Vale lembrar que William John Thoms desenvolveu o termo em 22 de agosto de 1846 ao produzir um artigo para revista The Atheneum, quando estudava tradições populares no século XIX.

Em relação à literatura científica, é possível dizer que os primeiros estudos sobre folclore surgiram a partir do século XVII na Europa e nos Estados Unidos.

O estudo sobre as expressões culturais da população só se consolidou após a criação e aceitação do termo Folklore que ocorreu apenas no final do século XIX.

Para consolidar como campo de estudo, foi necessário fazer a fundação da Sociedade Folclórica, conhecida mundialmente por Folklore Society, em Londres, por um time de cientistas de 1978.

A organização promoveu eventos, debates, pesquisas e estudos sobre as expressões culturais folclóricas identificadas em sua época.

O maior legado deixado pela Sociedade Folclórica de Londres foi à publicação de parâmetros que definiam a área de estudo do folclore.

Por conta dos parâmetros, os cientistas americanos fundaram em 1888, a Sociedade Americana de Folclore, também chamada de American Folklore Society.

Além de realizar eventos, pesquisas, estudos e debates sobre as expressões populares, os cientistas americanos também fizeram a atualização dos parâmetros dos estudos sobre folclore.

Afinal, a composição étnica populacional das Américas é totalmente diferente do continente europeu.

Com efeito, os parâmetros europeus e americanos começaram atrair atenção de pesquisadores, cientistas e estudiosos de países como a França, Ítalia, Estados Unidos, Alemanha e Brasil.

Os cientistas começaram a debater todos os parâmetros e estudos publicados até naquele momento, assim como também desenvolveram novas pesquisas em cada país sobre folclore.

No Brasil, esses debates e novas pesquisas, principalmente sobre o folclore deram origem, em 1951, ao I Congresso Brasileiro, realizado na cidade do Rio de Janeiro.

No congresso, os pesquisadores e cientistas da época discutiram sobre o conceito do termo folclore e também debateram a respeito das expressões cultuais folclóricas brasileiras.

E mais, o congresso conseguiu nortear todas as pesquisas acadêmicas durante anos, assim como influenciou o governo do presidente Juscelino Kubitschek.

Em 1958, o governo federal, através do Ministério de Educação e Cultura, desenvolveu a Campanha de Defesa do Folclore Brasileiro (CDFB), com a intenção de valorizar as expressões que compõem o folclore no Brasil.

Já nas universidades brasileiras, foi lançado em 1960 um periódico chamado de Revista do Folclore Brasileiro, responsável por reunir as pesquisas acadêmicas do país.

Com a chegada do golpe militar de 1964, a Campanha de Defesa do Folclore Brasileiro (CDFB) e os estudos acadêmicos sobre folclore foram interrompidos.

Apenas com a Constituição de 1988, o folclore voltou ser valorizado pela sociedade, uma vez que foi considerado um patrimônio cultural do Brasil com a publicação dos artigos 215 e 216.

Já no de 1995, os estudos e pesquisas científicas e acadêmicas voltam a ser produzidos através do VIII Congresso Brasileiro de Folclore, em Salvador, que publicou novos parâmetros do campo de estudo.

O que ajudou consolidar os estudos de folclore do Brasil. Além disso, as instituições escolares infantis e fundamentais começaram inserir em seus planos de aula as expressões culturais folclóricas brasileiras.

folclore brasil

Personagens do folclore

O Folclore Brasileiro é formado basicamente pela união das culturas indígenas, africanas e europeias que influenciam na formação da identidade nacional e na criação de personagens lendários e míticos. Veja os personagens do folclore principais:

  • Saci-Pererê;
  • Boitátá;
  • Curupira;
  • Boto cor-de-rosa;
  • Mula sem Cabeça;
  • Iara.

personagens do folclore

Costumes

O país possui o folclore mais rico do mundo por conta da sua formação populacional. Logo o folclore possui um grande número de costumes e tradições que são transmitidos de pai para filho e de avô para neto. Dentre eles, os principais costumes do folclore brasileiro são:

  • Na música e dança: samba, xote, frevo, catira, xaxado, quadrilha, ladainhas, modas de viola e musicas religiosas;
  • Nas Festas: carnaval, folia de reis, congada, cavalhadas e festa junina;
  • Literatura e linguagem: provérbios, adivinhações, literatura de cordel, piadas, trava-línguas e parlendas;
  • Culinária: panelada, buxada, tucupi, canjica, pamonha, chimarrão, pão de queijo, moqueca e pequi;
  • Brincadeiras: estilingue, pipa (papagaia), pião, bolinha de gude, pega-pega e esconde-esconde;
  • Artesanato: vasos, potes, panelas e potes de barro, rendas, bordados, esculturas e bijuterias.

Brincadeiras típicas

As brincadeiras do folclore brasileiro resistem à força do tempo e até hoje fazem parte do universo infantil, mesmo com o advento da modernidade que trouxe novas tecnologias. Veja alguns exemplos de brincadeiras folclóricas:

  • Jogar pião é um brinquedo feito de madeira que após ser enrolado por um barbante e ser puxado começa ser rodado no chão;
  • Bolinha de gude são bolas coloridas de vidro que precisam ser lançadas até serem tocadas;
  • Pega-pega é uma brincadeira em que a criança precisa tocar seu amigo que passar ir atrás de outros jogadores;
  • Passa anel é um jogo que a criança passa um anel nas mãos dos coleguinhas de forma discreta para em depois tentar descobrir quem está com o anel;
  • Esconde-esconde é uma diversão que a criança precisa se esconder e não ser achado pela criança que está procurando.

esconde esconde

Principais características do folclore

O folclore é basicamente uma espécie de identidade de uma população, visto que são conhecimentos, costumes, ritos, festas e histórias que são transmitidas de pai para filho e de avô para neto de forma natural e durante o convívio diário.

Aqui no Brasil, é impossível quantificar as expressões folclóricas que existem dentro do território. Isso corre devido à formação populacional do Brasil que reúne, por exemplo, negros, índios, portugueses e emigrantes árabes, japoneses, italianos e alemães.

Ou seja, o folclore brasileiro é um dos mais ricos do mundo, sendo possível elencar apenas as principais características comuns.

Logo o folclore do Brasil abrange lendas, contos populares, lendas, ritos e cerimônias religiosas, brincadeiras, adivinhações, provérbios, vestuários, comidas, orações, juramentos, xingamentos, cantos, dança, apelidos de pessoas, saudações, assovios, trava-língua, festas, medicina popular, artesanato, canções de roda, gírias da cidade, lendas urbanas, símbolos e até padrões de arquitetura e urbanismo.

Qual é o objetivo do folclore brasileiro

O principal objetivo do folclore brasileiro é a transmissão de conhecimentos que são considerados importantes para as pessoas.

Além disso, o folclore também é utilizado como metodologia para manter o controle comportamental das pessoas que compartilham do mesmo espaço.

Logo é possível afirmar que todas as expressões culturais folclóricas do Brasil, que são manifestadas pela população dentro do nosso território, fazem parte da identidade nacional.

O folclore faz parte da identidade nacional devido ser uma  expressão cultural da população que é transmitido de geração em geração.

Em muitos casos, as demonstrações culturais brasileiras já estão naturalizadas na sociedade e não há necessidade de uma intervenção ou incentivo, por parte da instituição escolar ou governamental, para continuarem presentes na vida das pessoas.

Comidas

O Brasil é dono de uma culinária original que reúne referências e características dos diferentes povos que residem no país, sendo possível elencar algumas comidas típicas do folclore brasileiro por região. Cada lugar possui um prato que costuma representar sua cultura, veja:

  • Região Norte: pato no tucupi, tambaqui, tacácá, creme de bacuri e cupuaçu;
  • Região Nordeste: buchada, carne-de-sol, canjica, vatapá, pamonha, cuscuz, tapioca e arroz doce;
  • Região Sudeste: feijoada, moquecas, cuscuz, caldo, arroz e iogurtes;
  • Região Central-Oeste: pequi, pão de queijo, caldo, queijos, feijão, requeijão e frutas do cerrado;
  • Região Sul: tripada, churrasco, linguiça, carreteiro, macarrão, pizza e chimarrão.

comidas folcloricas

Músicas folclóricas

No geral, as músicas folclóricas brasileiras são introduzidas nos hábitos das pessoas desde criança em casa e no ambiente escolar, inclusive, muitas músicas são integradas a dança. Veja as principais músicas que fazem parte do folclore:

  • Maxixe, xaxado, baião, samba, frevo, quadrilha, vanera, maracatu, ciranda, catira e pau-de-fita;
  • Canções de roda como sapo cururu e escravos de Jô;
  • Repentes, os cantos de velório e cemitérios e as modas de viola;
  • Serestas, músicas religiosas e ladainhas.

Artesanatos

O artesanato do folclore brasileiro é um dos mais ricos do mundo. Além disso, o artesanato com selo nacional é o mais cobiçado no mercado exterior.

Os traços e características conseguem expressar os costumes e as tradições de cada povo e região.

Isto porque cada lugar do país possui suas próprias técnicas que são específicas e originais. As peças dos artesanatos fabricados no Brasil e que fazem parte do folclore, são:

  • No Nordeste tem as carrancas de madeira e areia, além das cerâmicas de caruaru;
  • No Norte vem as cerâmicas marajoara, cestaria, pintura e argila;
  • No Sudeste existem as rendas, bordados e tecidos;
  • No Sul há os tapetes artesanais e peças de argila e madeira;
  • No Centro-Oeste as peças fazem alusão às lendas, mitos, danças e folclore.

coisa do folclore