Biografia de Vik Muniz

Conheça a história de Vik Muniz, conhecido no mundo inteiro por suas inusitadas obras, baseadas não só em temas atuais, mais também as contemporâneas, sempre retratando a sustentabilidade.





Quem foi Vik Muniz

Vicente José de Oliveira Muniz, popularmente conhecido como Vik Muniz nasceu em São Paulo, no dia 20 de dezembro de 1961, atua como fotógrafo, pintor e artista plástico brasileiro radicado nos Estados Unidos. Suas obras são baseadas em experimentos com novas mídias e materiais.

Filho de pernambucanos, Vicente Lopes Muniz e Maria Celeste de Oliveira Muniz. Casado desde 2016 com a produtora cultural Malu Barreto com quem teve uma filha, a caçula Dora Muniz. Além desta, Vik Muniz também é pai de Mina Rosa Muniz Tscape e Gaspar Muniz, fruto de relacionamentos anteriores.

Estudou publicidade e propaganda na Fundação Armando Álvares Penteado – FAAP, em São Paulo. Em 1982 viajou para os Estados Unidos, onde viveu um ano na cidade de Chicago e, no ano de 1983, mudou-se para Nova York onde abriu um ateliê de arte para trabalhar, posteriormente, passa a dedicar especificamente em desenho e a fotografia.

Desta forma, trabalha com uma série de fotografias, constantemente, são reproduções de obras de arte já reconhecidas, que recria com diferentes materiais bem como papéis perfurados, algodão, recortes de revistas, chocolate líquido, doce de leite, catchup, gel para cabelo, lixo, açúcar ou poeira.

Desde o ano de 1988, buscou desenvolver sérios trabalhos baseados em temas relativos à memória, à percepção e à representação de imagens do mundo das artes e dos meios de comunicação. Em suas obras faz uso de diversas técnicas e, busca sempre inovar as matérias-primas para a confecção de sua arte.

Realiza a série de desenhos The Best of Life em 1988, na qual reproduz, de memória, uma parte das famosas fotografias veiculadas pela Revista Americana Life. Convocado para expor suas obras, Vik Muniz fotografa os desenhos e dar às fotografias um tratamento de impressão periódico, representando um caráter de realidade nas imagens provenientes da memória.

É um dos fundadores da Oficina de Fotografia, que desde 2009 tem como mantedora a marca global da Louis Vuitto. Suas fotografias fazem parte de acervos particulares e dos museus de Londres, Los Angeles, São Paulo e Minas Gerais.

Foi produzido um documentário, no ano de 2010 intitulado “Lixo Extraordinário” baseado no trabalho de Vik Muniz, com catadores de lixo da cidade de Duque de Caxias, situada na área metropolitana do Rio de Janeiro. Esse documentário ganhou um prêmio no festival de Berlim, na categoria Anistia Internacional e no Festival de Sundance.

Em 7 de setembro de 2016, Vik Muniz, um dos diretores da cerimônia da abertura dos “Jogos Paraolímpicos Rio 2016”, criou uma obra de arte formada por peças de um quebra-cabeça que eram levadas por cada delegação, com o nome do país de um lado e a foto dos atletas do outro. Cada peça era colocada no centro do palco do Maracanã, e com a colocação da última peça, pelo artista, formou-se um enorme coração que começou a pulsar com o uso de projeção de luzes. A obra de arte fez referência ao conceito central da cerimônia resumido na frase: “O coração não conhece limites”.

Seu trabalho mais recente, foram 37 mosaicos que decoram as paredes internas de um trecho do metrô em Nova Iorque. Esta obra, foi inaugurada em dezembro de 2016, e durou aproximadamente três anos para ser concluída, e visa explorar dos distintos tipos de pessoas que frequentam do metrô de Nova Iorque.

Em suas obras, Vik Muniz buscam unir a fotografia, a escultura e o desenho. Sua arte é possuidora de uma grande diferencial e ganharam espaços de importantes museus. Toda essa notoriedade de Vik Muniz no meio artístico, foi conquistada através de Charles Haggan, o crítico de arte do Jornal New York Times. A partir de uma matéria divulgada no jornal em relação às suas obras que seria exposta numa galeria de Nova York, museus relativamente grandes como Guggenheim e Metropolitan Museum of Art passaram a convidar Vik para expor suas obras.

No decorrer de sua carreira, Vik Muniz realizou inúmeras exposições como na Flórida, Miami, Montreal, Nova Iorque, México, Canadá, Austrália, Rio de Janeiro. Sendo o primeiro brasileiro a expor no museu de arte moderna mais conceituado do mundo.

Algumas de suas obras como a Mona Lisa de Leonardo Da Vinci, são reprodução de outras obras já conceituadas. Além destas, retratou diversas figuras como a de Pelé, Che Guevara, Freud, Barack Obama, Elvis Presley, Seu Jorge, Pollock, dentre outras.

Biografia de Vik Muniz

Veja a biografia e história contando quem foi Vik Muniz. Foto: Reprodução

Algumas obras de Vik Muniz

Algumas das obras criadas pelo artista:

  • The Best of Life (1988 e 1990);
  • Sugar Children (1996);
  • The Sarzedo Drawings (2002);
  • Retratos de Revistas (2003);
  • Lixo Extraordinário (2010);
  • Projeto Paisagem (2012).

Frases ditas por Vik Muniz

Veja algumas das principais frases já ditas por Vik Muniz:

  • “Se as pessoas tivessem mais arte na vida delas, não estariam fazendo tanta besteira”.
  • “(…) Vi um país tão lindo e tão inocente, que até hoje, depois de 20 anos morando em Nova York, ainda me traz a razão do amor incrível que tenho pelo Brasil”.
  • “Meu sonho é mudar a forma elitista com a qual a arte é encarada. Não acredito na separação entre o popular e o inteligente, como se fossem coisas antagônicas. ”
  • “Meu sonho é mudar a forma elitista com a qual a arte é encarada. Não acredito na separação entre o popular e o inteligente, como se fossem coisas antagônicas. ”
  • “O artista faz só metade do trabalho, o observador faz o resto.”

Gostou da biografia de Vik Muniz? Então compartilha o post com seus amigos nas redes sociais e deixa seu comentário abaixo após avaliar a publicação nas estrelas.

Biografia de Vik Muniz
5 (100%) 6 votes

Leave a Reply