Biografia de Leopoldina

Leopoldina era filha do último imperador sacro do império romano germânico o Francisco II. Eles pertenciam a mais antiga dinastia da Europa, que reinou de 1282 até 1918, a Casa de Habsburgo – Lorena.





O nome completo de Leopoldina era Carolina Josefa Leopoldina Francisca Fernanda de Habsburgo-Loren, um nome grande igual ao tamanho da sua importância para o Brasil. Viveu de 22 de janeiro de 1797 até 11 de dezembro de 1826.

Leopoldina foi importantíssima para a independência do Brasil, foi a primeira esposa de Dom Pedro I, e primeira imperatriz consorte de 1822 até a sua morte.

Sua morte por complicações na gravidez e devida a uma depressão grave foi muito contestada, com desconfianças e boatos de possíveis agressões de Pedro para com ela.

Em 1822 quando Pedro viajou a São Paulo afim de conter os ânimos na política que já não estavam satisfeitas com Portugal. Leopoldina assim assumia os poderes do país como chefe de estado.

Leopoldina soube das intenções de Portugal para rebaixar o Brasil a colônia novamente. Logo Leopoldina tomou atitudes para proteger o país e criou no dia 2 de setembro o decreto da independência que separava o Brasil de Portugal.

O decreto chegou em mãos de Dom Pedro I em 7 de setembro de 1822 que declarou o Brasil independente de Portugal.

Quem foi Leopoldina

Quem foi Leopoldina. / Foto: Reprodução.

Quem foi Leopoldina

Nascida em 22 de janeiro de 1797 cresceu na cidade de Viena capital da Áustria. Lá viveu até o dia do seu casamento arranjado com Pedro de Alcântara em 1817 por procuração, ou seja sem os noivos estarem presente.

Dom Pedro I era filho de Dom João IV, rei do reino de Portugal, Brasil e Algarve de 1816 até 1822 até a independência do Brasil. Depois disso foi rei de Portugal e Algarve até a sua morte em 1826. Assinou o tratado do Rio de Janeiro em 1825 que reconhecia a independência do Brasil.

Depois do casamento ela veio para o Brasil para conhecer o marido o príncipe do Brasil Dom Pedro I. Estava muito empolgada pois sabia das belezas naturais do território e ela era uma apaixonada por botânica e mineralogia.

Ela se adapta muito bem ao Brasil, os costumes locais se tornam parte dela e desde então ele se torna simpatizante da ideia de libertar o Brasil e transforma-lo em independente.

Mais tarde ela seria a responsável para que isso ocorresse assinando o decreto que separava o Brasil de Portugal. Isso tudo com auxilio e conselhos do seu amigo que conheceu assim que desembarcou no território, José Bonifácio.

Junto com Leopoldina diversos artistas vieram para o Brasil, fazia parte de um acordo que modificou o cenário das artes no país chamado de Missão Artística Francesa.

Vida Amorosa

Com um casamento arranjado com Portugal, Maria Leopoldina foi pretendida ao príncipe de Portugal, Brasil e Algarve, Dom Pedro I.

O casamento ocorreu por procuração ou seja nenhuma das partes estavam presentes, e logo após ela partiu para o Brasil conhecer seu futuro marido.

Através de relatos em suas cartas fica claro como a sua relação com o marido não era boa. Boatos sugerem que ela era constantemente agredida por Pedro. O que chegou a sujar a imagem do marido na Europa após sua morte.

Biografia de Leopoldina

Foto: Reprodução

Principais feitos

O principal feito no Brasil, foi depois que assumiu como chefe de estado, em ausência de Dom Pedro I, que viajou para São Paulo afim de conter os ânimos por motivos de desejo da independência.

Leopoldina recebeu as intenções de Portugal em transformar novamente o país em colônia e as críticas severas que a metrópole enviará ao Brasil.

Então junto com os conselheiros e o apoio de seu amigo José Bonifácio, que era também um defensor da independência, assinou o decreto de separação do Brasil do reino de Portugal e Algarve.

Enviou a carta também para Dom Pedro que estava em São Paula e no dia 7 de setembro Pedro recebeu a carta que informava das intenções de Portugal e das críticas. Na carta ela exigiu que ele declarasse a independência com a seguinte frase:

O pomo está maduro, colhe-o já, senão apodrece”

Assim Maria Leopoldina foi a mais importante no processo decisivo da independência do Brasil.

Leopoldina

Foto: Reprodução

Morte

São muito boatos relacionados a sua morte, pois a violência de seu marido Dom Pedro I, fica evidente nas cartas que ela escreveu.

O surgimento de uma amante, a Marquesa de Santos é o estopim para a chegada da sua morte.

Ela estava grávida de seu sétimo filho e com uma grave depressão. No dia 11 de dezembro de 1826 ela morre devido a complicações no parto. A muito história sem comprovações.

O comunicado emitido para o imperador relata convulsões, febre alta e delírios, o filho que ela esperava também acabava por morrer.

Uma exumação feita recentemente comprovou que ela não foi agredida fisicamente antes de sua morte, o que mostra que realmente o motivo foram os problemas com a depressão e o parto.

Curiosidades

Uma das curiosidades sobre a tristeza que ela passava com seu marido é sobre a violência que sofria.

Certo dia durante a guerra da cisplatina no Rio Grande do Sul, Dom Pedro I precisava visitar as tropas no estado e então Leopoldina seria a regente do país.

Porém durante a transmissão do poder, estava presente a amante de Dom Pedro, a marquesa de Santos que irritou e fez com que Leopoldina saísse do salão.

Não houve testemunha apenas o relato de Leopoldina de que Dom Pedro a arrastou para o salão com pontapés. A triste história mostra o quanto sofreu a imperatriz do Brasil.

Outras curiosidades sobre a imperatriz são:

  • Leopoldina também adora caçar;
  • Foi a primeira mulher a governar o Brasil;
  • Era cunhada de Napoleão Bonaparte;
  • Ela era magra, depois da exumação foi comprovado, ela sofria com o calor e inchava porem os retratos mostravam ela com uma leve obesidade;
  • Sua vinda para o Brasil incentivou a vinda dos alemães que se fixaram no sul do Brasil e criaram a cidade de São Leopoldo.

Gostou da biografia de Leopoldina? Então compartilha o post com seus amigos nas redes sociais e deixa seu comentário abaixo!!

Biografia de Leopoldina
5 (100%) 7 votes

Leave a Reply