Skip to content
Biografia Resumida

Biografia de Leila Diniz

Leila Diniz era uma conhecida atriz brasileira nas décadas de 60 e 70. Durante a sua carreira ela trabalhou no cinema, na TV, no teatro e ainda virou a musa de Ipanema.

Além de se uma brilhante profissional, ela ainda ajudou a romper diversas barreiras conservadores existentes na sociedade.

leila diniz

Para conhecer mais a respeito desta importante personalidade brasileira, continue lendo este post.

Quem foi Leila Diniz

leila diniz

Leila Diniz nasceu no dia 25 de março de 1945 na cidade de Niterói, no Estado do Rio de Janeiro. Ela era filha de Ernestina Roque, que era professora e ministrava aulas de educação física. Seu pai foi Newton Diniz, um bancário.

Quando os seus pais se separaram, Leila Diniz passou a morar na residência dos avós. Por pura rebeldia, quando tinha 14 anos resolveu fugir de casa e foi morar com a sua tia.

Começou a trabalhar muito cedo, com 15 anos apenas. Nesta época ela exercia a profissão de professora, dando aulas para turmas do jardim de infância e maternal.

Quando tinha somente 17 anos ela conheceu o seu futuro marido, o cineasta Domingos de Oliveira, com quem ficou casada durante 3 anos.

O fim do relacionamento ocorreu em 1965, casando-se logo em seguida com o cineasta Ruy Guerra, com quem teve uma filha.

A sua carreira foi repleta de trabalhos relevantes. A princípio ela foi garota propaganda de diversas marcas e também atuou como atriz na peça infantil chamada “Em busca do tesouro”.

Além disso, também foi corista e estreou alguns filmes, como “O mundo alegre de Helô” “Jogo perigoso”. A sua estreia no teatro ocorrei no ano de 1964, atuando nas peças “O preço de um homem”. Nesta peça ela contracenada com Cacilda Becker.

Em 1967 Leila Diniz foi premiada com o Air France de melhor atriz. Ela também atuou em diversas novelas, sendo elas: A Rainha Louca”, de 1967; “O Direito dos Filhos, em 1968.

Frases de Leila Diniz

Conheça algumas das frases mais famosas ditas por Leila Diniz.

“Todos os cafajestes que conheci na minha vida eram uns anjos de pessoas.”

“Você pode muito bem amar uma pessoa e ir para a cama com outra. Já aconteceu comigo”

“Sobre minha vida, meu modo de viver, não faço o menor segredo. Sou uma moça livre.”

“Viver, intensamente, é você chorar, rir, sofrer, participar das coisas, achar a verdade nas coisas que faz. Encontrar em cada gesto da vida o sentido exato para que acredite nele e o sinta intensamente.”

Curiosidades

Após a morte da atriz, a sua filha foi criada pelo cantor e compositor Chico Buarque de Holanda e por sua esposa à época, a atriz Marieta Severo.

Outra curiosidade é que Leila Diniz estava escrevendo em seu diário no momento em que o acidente aéreo que tirou a vida aconteceu.

Isso veio à tona quando o seu cunhado, que era advogado. Ele descobriu este fato quando foi à Índia para trazer os restos mortais de volta para o Brasil. Ele recebeu um diário que tinha a seguinte frase: Está acontecendo alguma coisa muito es….

Leila Diniz era feminista?

Definir se Leila Diniz era feminista ou não é bastante complicado. Ela defendia o seu direito de ser quem ela queria ser, sem se curvar à pressão e conservadorismo da época.

O cenário político em que ela vivia tinha repressão e muitos tabus ainda estavam presentes no país. Uma das cenas que marcaram muito a sua vida, foi o fato de que ela apareceu de biquini na praia enquanto estava grávida.

leila diniz
Foto: Reprodução.

Muitas declarações também contribuíram para chocar a opinião pública, quando ela afirmou: Transo de manhã, de tarde e de noite.

Leila Diniz era considerada por muitos como sendo uma mulher à frente do seu tempo. Enquanto para outros, inclusive para as feministas da época, ela a consideravam como a serviço dos homens.

Portanto, se ser feminista é defender o direito da mulher de fazer o que ela quiser sem ser reprimida pela sociedade, então sim, ela foi feminista.

Causa da morte

Leila Diniz morreu muito cedo, com apenas 27 anos de idade. Sua morte de deu em um acidente aéreo enquanto voltada de uma viagem que havia feito para a Austrália.

Era dia 14 de junho de 1972, ela voava com a Japan Airlines, quando o avião caiu na cidade de Nova Délhi, na Índia.

Ela era capaz de falar sobre a sua vida pessoal sem demonstrar qualquer tipo de constrangimento ou vergonha. Em 1969 deu uma entrevista ao jornal O Pasquim. Essa foi a edição do jornal que mais vendeu.

Depois desta publicação, com declarações polêmicas, começou uma censura à imprensa. O decreto ficou conhecido como Decreto Leila Diniz. Começou então uma perseguição à atriz.