Skip to content
Biografia Resumida

Biografia de Maria Antonieta

Nasceu na Áustria, Maria Antonieta Josefa Joana Von Habsburgo Lorena, na cidade de Viena em 02 de Novembro de 1755. 

Vinda de berço nobre, sendo filha caçula da imperatriz Maria Teresa de Hasburgo. E filha de Francisco Estêvão de Lorena, imperador do Sacro Império Romano Germânico.

Maria Antonieta
Foto: Reprodução.

Casamento e Amante

Foi doutrinada na religião católica e seu casamento aconteceu quando Maria Antonieta tinha só 14 anos de idade. Casou com delfim francês Luís Augusto, na época, coroado como rei da França, Luís XVI.

Este casamento foi pré-estabelecido e idealizado por sua mãe. O casamento de Maria Antonieta tinha um objetivo político específico.

A finalidade era unir a dinastia dos Hasburgos com os Bourbons, dando o golpe final para eliminar as idéias políticas da Inglaterra e Prússia.

A vida conjugal de Maria Antonieta era regada à corridas de cavalos, festas, shows de ópera, teatros e bailes da corte.

Atividades essa que não atrapalhavam em nada seu gosto pela filosofia política, história e literatura, virtudes herdadas da mãe.

Maria Antonieta
Foto: Reprodução.

Durante uma crise econômica que atingiu a França, o rei Luís XVI tentava resolver bravamente este impasse.

Ele renovou a gestão da corte e fez várias mudanças fiscais. Neste ínterim, a então rainha Maria Antonieta, realiza seu sonho de ser mãe.

E em 1781 nasce Maria Teresa Cartola. Feliz com sua filha, o rei presenteia sua rainha com um pequeno palácio na região de Versailles, em um ambiente rural. Ela passa a viver neste palácio onde supostamente conheceu seu amante, o conde Fersen.

Seu caso extra-conjugual é descoberto pelo meio imperial onde a história ganha um rumo político negativo para o rei.

A França passa por um inverno rigoroso onde as safras agrícolas são destruídas e o povo passa um período de miséria, fome e frio.

O reinado dos sonhos de Maria Antonieta e de Luís XVI  entra em decadência quando todos começam a culpar a rainha pela crise financeira do país por conta de sua traição conjugal.

Maria Antonieta não se deixa abalar e age com pulso firme durante esta fase.

Em 1789,quando aconteceu a revolução francesa, o rei e a rainha são presos no palácio de Versalhes e conduzidos ao palácio de Tulherias. Onde permanecem detidos até 1792.

Maria Antonieta arquiteta um plano de fuga, sendo apoiada por seu amante, conde Axel Fersen. São presos na tentativa de atravessarem a cidade de Varennes.

Em 1972, a monarquia francesa é extinguida. Em 1973, eles são presos na tentativa de atravessar a cidade de Varennes. Morrem na guilhotina em 1973.

Livros

Estes são os livros disponíveis na literatura brasileira sobre a história de Maria Antonieta:

  • Maria Antonieta – romance de Alexandre Dumas
  • As grandes mulheres da história – romance de F.W. Kenyon
  • Rainha da moda: como Maria Antonieta se vestiu para a revolução – de Caroline Weber
  • A queda da monarquia francesa: Luís XVI, Maria Antonieta e o barão de Breteuil – de Munro Price

Principais feitos

  • A rainha Maria Antonieta usava a moda como ferramenta política, algo muito relevante para a sociedade da época. Isto aumentava e sustentava sua autoridade sete antes de ter nascido seu filho.
  • Sua beleza e sedução já foram bem analisadas antes do casamento para que seu marido não fosse tentado a ter amantes.
  • Ganhou mais respeito quanto teve seu primeiro bebê, Maria Tereza e seu trunfo final foi seu filho, Luís José que nasceu em 1781. Com o nascimento dele,  ela conseguiu a posição forte de qualquer rainha da França.

Morte de Maria Antonieta

Após a morte de seu marido rei XVI na guilhotina, Maria Antonieta é levada para a prisão de Conciergerie onde ficou presa em uma cela pequena. Sempre comparecia ao tribunal revolucionário para tentar defesa.

Mas foi setenciada à morte devido a sua suposta traição contra o rei XVI. Foi para a guilhotina no mesmo ano que o rei XVI foi morto, em 1973.

Curiosidades

  1. A famosa frase “ se o povo não tem pão, que coma brioches”, supostamente dita por Maria Antonieta,  na época de fome na França, jamais foi dita pela rainha.
  2. De todos os filhos da rainha, somente sua primeira filha, a princesa Maria Tereza Cartola conseguiu chegar à vida adulta.
  3. Por exigência da nova pátria, ao chegar na fronteira da França, a rainha foi obrigada a se despir das roupas que vestiu na Áustria, inclusive se desfazer do seu enxoval e despedir-se de suas damas de companhia. Ela recebeu um novo vestido dourado para continuar sua viagem.
  4. Ela amava jogar cartas tanto que o rei Luís XVI instalou um cassino para ela em Versalhes. Na noite de estréia da nova atração, a rainha chegou a jogar 36 horas seguidas e gastou uma boa quantia do dinheiro público da coroa nisso.
Avalie esta biografia!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *