Biografia de Getúlio Vargas

Getúlio Vargas foi presidente do Brasil de 1930 a 1945 e de 1951 a 1954.





Os 19 anos que Getúlio Vargas ficou no poder ficou conhecido como “Era Vargas”, marcada por um governo centralizador e popular.

Durante seu governo houve grandes avanços e conquistas trabalhistas.

Foi um governo com forte apelo populista, o que ajudou a consagrar Getúlio como “o pai dos pobres”.

Getúlio Vargas

Foto: Reprodução

Quem foi Getúlio Vargas?

Getúlio Dornelles Vargas nasceu em São Borja, no Rio Grande do Sul no dia 19 de abril de 1883.

Getúlio Vargas ingressou no exército na cidade natal, onde logo foi promovido a sargento.

Deixou a vida militar para ingressar na faculdade de Direito, em Porto Alegre, concluindo o curso em 1907.

Em 1911, Getúlio se casa com Darcy Lima Sarmanho, em um casamento de conciliação entre famílias apoiadoras de partidos rivais. Da união nasceram cinco filhos.

Getúlio Vargas entrou para a política em 1909 como deputado estadual, deixando o cargo em 1913.

Em 1917 foi novamente eleito, cumprindo o mandato até 1923.

Em 1924, foi eleito deputado federal, ficando no cargo até 1926, quando foi nomeado Ministro da Fazenda por Washington Luís.

Em 1928, Getúlio se tornou governador do estado do Rio Grande do Sul e começa a articular sua candidatura à presidência da república.

Vida Política de Getúlio Vargas

Getúlio Vargas 1A vida política de Getúlio ganha destaque nacional, quando em 3 de novembro de 1930 a junta militar passou o poder, no Palácio do Catete, a Getúlio Vargas, encerrando a primeira fase da república brasileira, a chamada República Velha.

Era o início da “Era Vargas” que se dividiu em: Governo Provisório, Governo Constitucional e Estado Novo.

Governo Provisório (1930 – 1934)

  • Vargas governava por decretos-leis: leis criadas pelo próprio Vargas, que concentra os poderes executivo e legislativo em suas mãos. Não há constituição.
  • Nomeação de Interventores: militares que apoiaram Getúlio Vargas são nomeados para substituir os governadores nos estados.
  • Os sindicatos ficam atrelados ao governo.
  • Criação do Ministério do Trabalho, Indústria e Comércio (a cargo de Lindolfo Collor).
  • Criação de leis trabalhistas: 8hs diárias, salário-mínimo, aposentadoria, férias, estabilidade.
  • A Revolução Constitucional de 1932 – SP – exigia a volta da democracia e a convocação de uma assembleia constituinte por Vargas.

Era uma tentativa das oligarquias paulistas de enfraquecerem a “revolução” de 1930.

Governo Constitucional (1934-1937)

O Brasil volta a ter uma Constituição (Constituição de 1934) com os seguintes direitos:

  • Voto secreto, obrigatório, direto;
  • Voto feminino (excluindo-se analfabetos);
  • Justiça eleitoral;
  • Confirmação de leis trabalhistas;
  • Mandato presidencial de 4 anos;
  • 1º presidente eleito indiretamente: Getúlio Vargas;
  • Intervenção do Estado na exploração de minérios;
  • Disputas políticas (grupos políticos):
  1. AIB (Ação Integralista Brasileira): Grupo político de extrema direita, com ideologia fascista e nacionalista.
  2. ANL (Aliança Nacional Libertadora) : Grupo político de extrema esquerda, com ideologia comunista e nacionalista.

A Intentona Comunista 1935

organizada pela ANL, foi uma revolta armada que tinha como objetivo derrubar o governo de Vargas e instaurar o comunismo no Brasil.

Contou coma participação de Natal, Recife e Rio de Janeiro.

Plano Cohem (1937)

Atentado comunista forjado por Vargas e integralistas.

Esse atentado foi utilizado como pretexto para a instauração de uma ditadura contra os comunistas.

Estado Novo (1937-1945)

  • Nova constituição (1937): POLACA (constituição fascista), foi outorgada (imposta), é autoritária e antiliberal
  • Estado de Emergência permanente – plenos poderes ao presidente e a polícia.
  • Congresso fechado, governo por decretos-lei.
  • Proibição de greves.
  • Censura permanente (DIP – Departamento de Imprensa e Propaganda).
  • Prisão de qualquer opositor.
  • Apoio das forças armadas.
  • Perseguição a comunistas
  • Trabalhismo (Controle de sindicatos e
  • Consolidação das Leis Trabalhistas: CLTS)
  • Nacionalização da economia: criação de empresas estatais (Companhia Siderúrgica Nacional e Vale do Rio Doce).
  • Simpatia ao fascismo.
  • Ausência de qualquer partido (até a AIB foi fechada).
  • 1938 – Intentona Integralista:
  • Golpe fracassado da AIB.
  • Líderes foram presos e exilados.
  • Política internacional pragmática: exploração de rivalidades para obter vantagens para o Brasil e projeto de industrialização.
  • Política de Boa Vizinhança (neutralidade no início da II Guerra)
  • 1942: Navios brasileiros são afundados por submarinos alemães.
  • Brasil declara guerra ao Eixo (ALE + ITA + JAP).

O fim do Estado Novo ocorre devido ao papel contraditório do Brasil na  Segunda Guerra Mundial (1942), onde sob a influência norte-americana, o Brasil, com tendência fascista, entra no conflito contra o Eixo: Alemanha, Itália e Japão.

Após o fim da Segunda Guerra Mundial, há uma oposição norte-americana e da sociedade civil brasileira ao governo varguista.

Com isso Getúlio passou a ser visto como uma ameaça às democracias e ao liberalismo mundial.

Empresários, classe média e políticos brasileiros descontentes com a falta de liberdade aproveitaram a situação para exigir a redemocratização do país e a realização de eleições para presidência em 1945.

Pressionado, Getúlio Vargas abre mais espaço para a oposição  e permite a volta de partidos políticos e fundação de outros como:

  • PSD – Partido Social Democrático (ligado a Vargas e Dutra)
  • PCB – Partido Comunista Brasileiro (pautado no Comunismo soviético)
  • PTB – Partido Trabalhista Brasileiro (fundado no trabalhismo varguista)
  • UDN – União Democrática Nacional (conservador e a favor do capital estrangeiro: entreguistas)

Em 1945 Vargas foi cassado e eclodiu o Movimento do Queremista.

Esse foi um movimento caracterizado como um fenômeno popular das massas pobres, que queria a permanência de Vargas no poder, mas com uma nova constituição.

Em 1950 Getúlio Vargas foi eleito, derrotando a UDN, que tinha como candidato  Eduardo Gomes e o Partido Social Democrático, que abandonou o seu candidato, o mineiro Cristiano Machado, e apoiou Getúlio.

Seu governo foi tumultuado devido a medidas tomadas e  a acusações de corrupção.

Ele perdeu apoio político das elites sociais, do Congresso Nacional e do exército.

Iniciou-se uma forte oposição por parte da UDN, a partir de 1953, fazendo ruir o governo de Vargas.

Durante seu governo foi criada a Petrobrás e O BNDS.

Getúlio VargasFrases de Getúlio Vargas

  • “O ideal é ainda a alma de todas as realizações.”
  • “Eu sempre desconfiei muito daqueles que nunca me pediram nada. Geralmente os que sentam à mesa sem apetite são os que mais comem.”
  • “Quem não agüenta o trote não monta o burro.”
  • “Saio da vida para entrar na história.”

Morte de Getúlio Vargas

Getúlio Vargas morreu no dia 24 de agosto de 1954 em seu quarto no Palácio do Catete , no Rio de Janeiro, com um tiro disparado por ele mesmo, que atingiu coração.

O suicídio veio após o próprio Getúlio declarar a seu vice Café Filho, que renunciaria ao cargo.

Vargas deixou uma carta testamento onde colocou os motivos para sua atitude, culpando seus opositores por sua morte.

O suicídio de Getúlio Vargas, atrasa o golpe militar em 10 anos. Os militares já estavam preparados para tirá-lo do poder.

Contudo, a atitude de Vargas interrompe os planos dos opositores de seu governo que ficam sem poder tomar alguma atitude em um momento de forte reação popular ao fim trágico do presidente do povo.

Gostou da biografia de Getúlio Vargas? Então compartilha o post com seus amigos e nos grupos de WhatsApp para todos conhecerem o “pai dos pobres”.

Biografia de Getúlio Vargas
5 (100%) 11 votes

Leave a Reply