Biografia de Sigmund Freud

Um dos maiores gênios da humanidade foi o médico e desenvolvedor da psicanálise Sigmund Schlomo Freud – mais conhecido apenas como Sigmund Freud.





Quem foi Sigmund Freud

O mesmo nasceu em Freiberg no à época pertencente ao Império Austríaco e hoje e atualmente pertence a República Tcheca, no dia 06 de maio de 1856 filho de Jacob Freud que era Judeu vindo da Galícia e que vivia do comércio de lãs e da dona de casa Amalie Nathanson.

A família de Freud se mudou para Viena quando ele tinha apenas 04 anos, haja vista, que enfrentavam fortes problemas financeiros e saíram na busca por uma melhora – transcorria o ano de 1856.

Com apenas 17 anos Sigmund Freud daria seus primeiros passos para se tornar esse respeitado psicólogo e médico que hoje a história reverencia.

Nesta idade ele ingressa na Universidade de Viena e passa a cursar medicina. Na respectiva universidade ele tem seus primeiros contatos com as aulas de filosofia.

Neste período Freud dedicou-se a aprender fisiologia e zoologia, inclusive, a partir de 1876 realiza diversas dissecações de enguias na busca de compreender o sistema reprodutor destes animais. Somente 20 anos mais tarde ele conseguiria, revolucionar o mundo com suas teorias e estudos da psicanálise.

O término de seus estudos na universidade demonstraram que Sigmund Freud tinha mesmo um fascínio pelo comportamento humano e o funcionamento cerebral, haja vista, que decidiu ser um médico neurologista.

Biografia de Sigmund Freud

Foto: Reprodução

O jovem médico neurologista Freud dedicou boa parte de sua vida cuidando de crianças numa clínica voltada a esse público.

Ele permaneceu por muitos anos e chegou a obter muito êxito o desenvolver um estudo que descobriu um tipo de paralisia cerebral.

Em meados de 1884 ele tomaria conhecimento dos experimentos e estudos de Josef Breuer – médico e fisiologista austríaco – que entre outras coisas conseguia curar vítimas de histeria através da penetração na mente dos pacientes e poder descobrir quais poderiam ser os fatos que provocavam aqueles transtornos.

Suas obras foram as bases para que Freud, mais tarde, desenvolvesse seu método de psicanálise.

Esse método que era chamado de catártico ganhou em Freud um curioso e interessado aluno que conseguiu entender quais eram os métodos e resultados dos estudos de Josef Breuer. Após um tempo em Paris buscando ampliar seus conhecimentos o mesmo volta e continua seus estudos com o médico austríaco do método catártico.

Neste mesmo ano – 1885 – ocorrem duas grandes evoluções em sua vida onde ele se torna professor-assistente de neurologia na Universidade de Viena e, também, lança seu livro sobre os estudos de histeria. O livro foi intitulado “Estudos Sobre Histeria.

Sigmund Freud se casou em 1886 com Martha Bernays, recebendo, inclusive, ajuda dos amigos para concretizar o matrimônio. O casamento ocorreu no dia 14 de setembro e não teve muitas pompas e glamour. A vida pessoal de Freud foi marcada pela ardente paixão dele e de sua esposa que tiveram 06 filhos Mathilde (1887), Jean – Martin (1889), Oliver (1891), Ernst (1892), Sophie (1893) e Anna (1895).

Freud e Breur viriam a romper por conta de um único aspecto que discordavam quanto a psicanálise. Existem biógrafos que afirmam que o método de Freud era suspeito a Josef Breuer assim como em quase toda a comunidade científica.

Mas isso é uma inverdade, posto que, ambos passaram a adotar a psicanálise em detrimento do método anteriormente usado por Josef que era a hipnose. O próprio Josef Breuer aplicou este método defendido por Freud da observação e diálogo na paciente chamada “Anna O”.

O problema entre os dois é que Freud defendia, entre outras coisas, que as memórias reprimidas ou ocultas como ele costumava rotular, tinham origens de natureza sexuais. Neste ponto Josef Breuer discordava energicamente. Após o lançamento dos estudos de Freud sobre a histeria o mentor e colega acabou rompendo com ele.

Os últimos anos de vida de Freud foram tensos e difíceis, pois, eclodia a perseguição nazista contra judeus e ele perdeu cinco irmãs – mortas nos campos de concentrações.

O próprio Freud teve sua biblioteca queimada e conseguiu se refugiar em Londres, sendo que neste período já estava doente. Realizou cirurgias por causa de um tumor no palato, mas 1 ano após chegar em Londres morreu no dia 23 de setembro de 1939.

Frases de Sigmund Freud

  • “O sonho é a satisfação de que o desejo se realize.”
  • “Qualquer coisa que encoraje o crescimento de laços emocionais tem que servir contra as guerras.”
  • “A ciência não é uma ilusão, mas seria uma ilusão acreditar que poderemos encontrar noutro lugar o que ela não nos pode dar.”
  • “A inteligência é o único meio que possuímos para dominar os nossos instintos.”
  • “É escusado sonhar que se bebe; quando a sede aperta, é preciso acordar para beber.”
Biografia de Sigmund Freud
5 (100%) 10 votes

Leave a Reply