Biografia de Henry Ford

Ford foi um homem crucial para o desenvolvimento da área de automóveis. Pois seus estudos foram imprescindíveis para uma nova perspectiva na Revolução Industrial. Um grande exemplo é a criação da linha de montagem.

Dessa forma, Henry Ford destacou-se por seus pensamentos inovadores e grande participação na indústria automotiva. Cada momento da sua história foi importante para chegar ao que conhecemos hoje. Veja-a abaixo.

Henry Ford

Henry Ford (1863-1947) é um norte-americano nascido em Wayne Country, Michigan. No seu lugar de origem, Ford já tinha contato com as máquinas na fazenda do seu pai, despertando grande interesse na manutenção de motores.

Quando completou 16 anos, se mudou para Detroit, conseguindo emprego em uma oficina mecânica. Assim, seu gosto por carros o levou a cursar Engenharia na faculdade, tornando-se engenheiro chefe logo após concluir o curso.

Em 1888 tomado de ideais para construir um veículo movido a gasolina, demitiu-se do emprego. Após essa ação, Ford tomou a decisão de se tornar produtor de automóveis, afinal automação era sua verdadeira vocação.

Ainda em 1888, Henry se casou com Clara Jane Bryant, a qual o deu, em 1893, um filho. Algum tempo depois, Ford inaugurou sua oficina nas ruas de Detroit, a qual apesar de não possuir grande estrutura teve grande eficácia.

Através dessa primeira oficina, foi criado o quadriciclo de ford, o qual apesar de rudimentar, ingeria pouco combustível, atraindo grandes compradores. Isso motivou cada vez Henry Ford, levando-o a estudar mais os automóveis.

Nessa perspectiva, desde sua infância, Ford demonstrava interesse no funcionamento de equipamentos. Isso o levou a grandes transformações na estética da produção.

Ford Motor

No ano de 1902, Ford criou a Ford Motor Company, uma nova indústria que usava a padronização do trabalho. Um ano depois foi lançado seu carro inaugural de dois cilindros: o “Modelo A”.

O carro teve um sucesso extraordinário e o balanço da firma registrou um lucro tremendo. A fábrica produzia cerca de dez carros por dia e logo se expandiu com Ford comprando as ações dos seus investidores.

Com todo o lucro, Henry começou a fabricar apenas um modelo: o “Modelo T”, o qual entrou no mercado em 1908 com um preço de 850 dólares. Porém um futuro barateando de preço forçou Ford a criar outro tipo de veículo.

A fim de acelerar o processo, Ford deu origem a chamada “linha de produção em massa”. Nela, cada trabalhador ficava responsável por uma parte do processo de construção, repetindo-o diversas vezes.

Devido a essa produção em série, um carro estava pronto para uso em menor tempo. Além de acelerar a fabricação de ônibus, tratores e caminhões, Ford adquiriu carvão, minas de ferro e rodovias.

No ano de 1928 seu império havia se formado, empregando mais de 200.000 funcionários a fim de fabricar 6.000 carros por dia. Ademais, ele incentivava um novo tipo de relação com os operários, aumentando seus salários.

Fordlândia

A fordlândia foi um projeto, criado por Henry Ford, o qual queria industrializar o estado do Pará, a partir dos moldes americanos.

Nesse período, a Amazônia já não estava no ápice do comércio de borracha, atraindo os olhares para o Pará.

Entre os anos de 1879 e 1912 o látex encontrado nas árvores paraenses era o que abastecia as indústrias da América do Norte e Europa. Porém, esse acontecimento atraiu olhares da biopirataria.

Dessa forma, o britânico explorador Henry Wickham contrabandeou uma grande quantidade de sementes das seringueiras. Esse ato permitiu que o comércio mundial da borracha se concentrasse no império britânico.

A Amazônia que já chegou a produzir aproximadamente 95% da borracha global, naquele ano de 1928 atendeu apenas 2,8% da demanda mundial. Nesse cenário, o projeto de Henry Ford foi bem visto.

A visão de Ford era extremamente industrial, motivada pelo seu desejo em adquirir a borracha para a fabricação dos seus automóveis. Em 1920 Ford controlava grande parte das matérias-primas usadas na produção.

O vidro, a madeira e o ferro não eram empecilhos para sua produção automotiva. Mas como os europeus controlavam a borracha, seu preço era determinado pelos mesmos, podendo se elevar drasticamente.

Ford era muito conhecido por suas ideias, ele reforçava que os trabalhadores deveriam consumir os produtos que eram produzidos por eles mesmos. Por isso, seus salários deveriam ser altos, pois trariam retorno para empresa.

Sendo assim, pouco a pouco a Fordlândia foi estabelecida, levando grande urbanização: hospitais, casas, piscinas comunitárias e mais. Além disso, havia serrarias, geradores e principalmente fábricas de borracha.

Entretanto, Ford queria levar, além das máquinas, os valores americanos, ou seja, a população deveria consumir hábitos saudáveis. Ademais, deveriam incentivar o golfe, programa divergente dos existentes na Amazônia.

Essa mistura de culturas tão distintas gerou diversas revoltas trabalhistas, erros na administração das fábricas e falta de adaptação. O clima favorecia doenças e pragas, afetando a plantação e as pessoas.

Ademais, a fordlândia serviu para abrigar militares americanos da Segunda Guerra Mundial. Mas em 1945 seus habitantes foram embora, destruindo o investimento de aproximadamente duas décadas de Ford.

Qual a importância de Henry Ford para a administração?

Apesar de uma imagem progressista, Ford era, além disso, um conservador em relação à administração. Ou seja, sua palavra era firme, como uma lei e todos deveriam colaborar para que o trabalho progredisse de maneira positiva.

Desde quando restaurava motores na fazenda do seu pai, Henry Ford sempre teve o espírito determinado e de liderança. Ele supervisionava sua linha de produção a fim de garantir que o trabalho fosse efetivo.

Seu método de especializar seus funcionários com a mesma função, teve inspiração no Taylorismo. As peças dos automóveis passavam em uma esteira e cada operário realizava sua única função.

Porém, como era disponibilizado uma grande quantidade de automóveis, as pessoas não podiam comprar. Então, Ford reduziu a jornada de trabalho e forneceu folgas nos finais de semana junto aos aumentos de salário.

Os veículos que antes eram restritos para poucos, já haviam sido barateados e logo mais acessíveis para população. Nesse momento ocorre o American Way of Life mais conhecido como “Estilo de vida americano”.

Nesse momento, os automóveis passaram a ser bastantes consumidos pela população de média renda, impactando positivamente na economia estadunidense. Foi um ciclo de prosperidade para os Estados Unidos.

Apesar disso, os concorrentes de Ford se tornaram uma ameaça. Pois, como ele não mudava a estética dos veículos, suas vendas eram reduzidas. Ou seja, era necessário inovar.

Pensando nisso, foi criado o modelo “Ford A” em homenagem ao seu filho, o qual foi um sucesso de vendas. Sendo assim, a empresa se estabilizou novamente e é líder de vendas até os dias atuais.

Juntamente com a produção de automóveis em larga escala, Ford coordenou o abastecimento de insumos automotivos. Sendo em 1905 designado como presidente da Society Of Automotive Engineers.

Fordismo

O fordismo foi o nome do modelo criado por Henry Ford em sua linha de montagem. Esse foi um componente essencial para modernização a qual caracterizou a Segunda Revolução Industrial.

Esse modelo prioriza a produção em larga escala, redução de gastos e gerenciamento administrativo da empresa, a fim de estimular o consumo de massa.

Tal organização também foi fundamental para a otimização do método de produção e na elevação da produtividade.

Frases de Henry Ford

Durante sua trajetória, Henry Ford deixou como herança frases, as quais são usadas atualmente como forma de incentivo ou reflexão. Quer saber quais são? Veja as abaixo:

  • “Se o dinheiro for a sua esperança de independência, você jamais a terá. A única segurança verdadeira consiste numa reserva de sabedoria, de experiência e de competência.”
  • “O passado serve para evidenciar as nossas falhas e dar-nos indicações para o progresso do futuro.”
  • “Estar decidido, acima de qualquer coisa, é o segredo do êxito.”
  • “Quer você acredite que consiga fazer uma coisa ou não, você está certo.”
  • “Há um punhado de homens que conseguem enriquecer simplesmente porque prestam atenção aos pormenores que a maioria despreza.”
  • “Questionar quem deve ser o chefe, é como discutir quem deve ser o saxofonista num quarteto: evidentemente, quem o sabe tocar. ”

Morte do ex-empresário

No dia sete de abril de 1947 Henry Ford faleceu na cidade de Dearborn, Estados Unidos. Devido a uma hemorragia cerebral, um grande empreendedor, empresário e engenheiro encerrou seus trabalhos.

Porém, seu legado permaneceu nas gerações. Afinal, Ford revolucionou todo o sistema industrial global e registrou suas teorias na obra: “Minha filosofia de indústria”. Além disso, registrou 161 patentes, criando o sistema de franquias.

Em suma, Ford também escreveu mais três livros chamados: “Minha vida e obra”, “Os princípios da prosperidade” e “O judeu internacional”. Todos agregaram valores para sua época e para a atualidade.

Curiosidades

A instituição de uma filial brasileira se deu apenas em 1992, localizada em São Paulo. O prédio tinha a finalidade de conter uma linha de montagem, a qual existe até os dias atuais (apesar de abandonado).

O único filho de Ford foi o responsável pelo departamento de design dos automóveis da empresa. Além disso, a Philco (conhecida atualmente pela rede de eletrodomésticos) ficou sobre domínio de Ford entre os anos 1961 e 1981.

Posts recentes