Biografia de Charles Darwin





Conheça a biografia resumida de Charles Darwin, onde nasceu, como viveu, suas teorias e descobertas, como morreu e vários outros assuntos sobre esta personalidade incrível para a humanidade.

Quem foi Charles Darwin?

Charles Robert Darwin nasceu em Shrewsbury, interior rural da Inglaterra, em 12 de fevereiro de 1809. Foi um naturalista que revolucionou a forma de entender o complexo processo de desenvolvimento da humanidade.

Nascido em uma família rica e aristocrata inglesa, teve uma infância marcada pelo amor à natureza e pela rigidez na criação dada pelo pai, Robert Waring Darwin, médico renomado que cuidava da família com mãos de ferro.

Sua mãe, Susannah Wedgwood, era acamada e não participou ativamente da vida dos filhos. Ela faleceu quando ele tinha oito anos.

Desde a infância, Darwin buscou refugio em meio à natureza que o rodeava, colecionando insetos (especialmente besouros), moedas, pedras, selos, conchas, plantas, flores silvestres e ovos de pássaros.

Charles se tornou um habilidoso caçador de aves, mas não tinha bom desempenho na escola. Com medo que o filho fosse mal sucedido nos estudos e se tornasse um homem ocioso e desacreditado, Robert Darwin enviou o filho para estudar medicina em Edimburgo em 1925, porém, Charles não gostou da profissão e depois de um ano voltou para casa.

Biografia de Charles Darwin
Foto: Reprodução.

Darwin entrou para a Universidade de Cambridge, através da influência do pai, para estudar teologia e se tornar pastor, uma alternativa para garantir uma vida respeitável e digna, o grande desejo de seu pai.

Em Cambridge, Charles Darwin teve contato com a botânica e conheceu seu maior influenciador no gosto pela história natural, o professor Reverendo John Hesnlow, que foi quem o convidou para participar da equipe do capitão naturalista Robert Fitzroy, que partiria em uma viagem ao redor do mundo ao bordo da fragata “Beagle”.

Outra biografia:  Biografia de René Descartes

Essa expedição durou cinco anos, passando pela América do sul até a Patagônia, Ilha do Fogo, Ilhas Galápagos, Austrália, Nova Zelândia, Ilhas Mauritius e África do Sul. Nela, Charles coletou amostras de plantas e animais e enviou essas amostras ao professor Hesnlow para estuda- las.

Após retornar da viagem, Darwin começou a escrever sobre suas descobertas. Em 1839 casou – se com sua prima Emma Wedgwood, com quem teve dez filhos, dos quais três morreram de forma prematura.

Charles Darwin morreu em 19 de abril de 1882, vítima de um ataque cardíaco.

As teorias de Charles Darwin e suas descobertas

A viagem ao redor do mundo na fragata “Beagle”, transformou o conhecimento sobre biologia e alterou a forma de entender a evolução humana, na época conhecida como transmutação.

Nessa viagem, Charles observou as diferenças e semelhanças entre as espécies. Para ele, os homens tinham raízes animalescas, selvagens e que todas as criaturas da terra tinha parentesco e vivam sob influência da natureza e suas mudanças.

Através dessas observações, ele começou a desenvolver sua teoria sobre a evolução humana e da seleção natural. Com base nessas teorias escreveu sua mais famosa e estudada obra: “A origem das espécies por seleção natural ou a preservação das raças favorecidas na luta pela vida”.

Na teoria da evolução de Darwin, todas as espécies vinham de um ancestral em comum, variando alguns aspectos de acordo com o ambiente em que vivam. Segunda essa teoria, sobreviveria a espécie que melhor se adaptasse às mudanças das condições ambientais do local em que habitava A natureza selecionava as populações mais capacitadas a sobreviver em determinado ambiente, descartando as menos aptas.

Essa teoria derrubava a teoria do criacionismo, passada pela cristandade, baseada nos ensinamentos bíblicos, que dizia que as espécies foram pré – determinadas por Deus na criação do mundo.

Outra biografia:  Biografia de Leandro Karnal

Charles acreditava que as espécies podiam evoluir e se adaptar e isso dava a natureza um poder que era, até aquele momento, restrito a Deus.

Suas teorias são até hoje questionadas e estudadas, porém, contribuíram para uma nova forma de entender a natureza e sua influência sobre o desenvolvimento das espécies.

Morte de Charles Darwin

Após se tornar famoso por suas descobertas, Charles Darwin, tinha medo de revelar suas teorias, que confrontavam com a verdade estabelecida pela igreja cristã, gerando uma reação negativa da sociedade que prejudicaria sua reputação e o futuro de seus filhos. Resolveu guardar suas ideias para si por vinte anos.

Isso lhe custou sérios problemas de saúde agravados pela Doença de Chagas, contraída em sua passagem pelo Brasil, após ser picado pelo inseto barbeiro, transmissor da doença.

Ele se isolou do mundo em sua propriedade, na zona rural de Londres, continuando seus estudos, mesmo que de forma limitada.

Quando conseguiu publicar suas ideias em novembro de 1859, a reação foi de incompreensão à elas e ele foi ridicularizado, mas Darwin trabalhou para reverter essas opiniões até que conseguiu muda-las a seu favor.

Em 1871 publicou a Origem dos homens, ligando o homem ao seu ancestral primata, os macacos. O livro foi bem recebido pela comunidade científica. Houve uma melhora na sua saúde após retirar dos ombros o peso de esconder suas ideias por medo da reação dos cientistas e da sociedade.

Em 1882 após sofrer um ataque cardíaco, passou seus últimos dias ao lado de sua esposa. Após sua morte foi solicitado à família, que Charles fosse sepultado na Abadia de Westminster ao lado de outros famosos cientistas britânicos, como forma de prestar homenagem àquele que revolucionou a biologia.

Biografia de Charles Darwin
5 (100%) 3 votes

Última atualização: 04/06/18


Veja também

Biografia de Sigmund Freud

Biografia de Sigmund Freud

Um dos maiores gênios da humanidade foi o médico e desenvolvedor da psicanálise Sigmund Schlomo …

>